quarta-feira, 10 de julho de 2013

Doce Domingo Incomum




“Com a viajem de férias da família novamente me via só, embora já estivesse acostumada com a ideia de que no decorrer deste mês seriam só Deus e eu, nos primeiros dias  me assustei, cheguei a não conseguir dormir por imaginar coisas demais. Queria não estar trabalhando, mas está bom da próxima vez irei viajar só!!
     Nunca sabemos a importância de uma pessoa na nossa vida até a gente de alguma forma perdê-la, é uma realidade unânime e universal, com todo mundo é assim, cheguei a essa conclusão quando parei pra avaliar a vida na manhã deste domingo chuvoso, as pessoas que considero mais importantes atualmente mal falam comigo, essa concepção me deixou triste mas de uma forma surreal abriu meus olhos, percebi que estava na hora de acordar e passar a pensar mais nos outros, ou talvez em mim mesma fingindo ser nos outros, afinal quando a pessoa importante se afasta eu acho que sofro mais, (egoísmo incontrolável), eu, eu e mais eu!
     Hoje fiz meu almoço favorito, carne grelhada, com salada, arroz branco, feijão carioca e macarronada da Yssa, minha especialidade, modéstia á parte estava tudo muito delicioso, lavei as louças e fui ver filme, desenho, depois ficção científica e por fim cedi ás pressões impostas pelo meu coração carente e fui ver um romance, foi mais pra agradar meu coração porque dormi e ao acordar o filme já havia acabado!
     Ah, sim, estávamos falando de pessoas, olha, me apego muito fácil, e me ferro muitas vezes, sou tola em dispor segundas chances e sempre tenho em mente que nas relações á minha volta não existem segundas intenções, pra mim amigo é amigo e possível peguete, é possível peguete! É engraçado como tem gente que não entende, afinal ta na cara a função de cada um no meu vínculo, ou não? Affs, eu e essa minha mania de tratar todo mundo da mesma forma e querer que eles se auto intitulem de acordo com meus pensamentos e ainda por cima corretamente... Não é sacanagem, devia perceber que não gosto de bajulação, mas também não vou sair cortando geral! A não ser que de natal meu pai me dê uma motosserra juntamente com uma licença de uso falsa, aí sim saio cortando geral!
     #Parei, sabe porque to escrevendo isso?! Porque to sozinha aqui, sem ninguém pra abraçar e sem nada pra fazer, se inventei essas paradas todas?! Pode ser que sim, pode ser que não, você que não consegue perceber se serve pra ser amigo ou peguete nunca vai saber! U.u
     Calma aê, daqui a pouco volto, tem alguém batendo na porta, podia ser pizza por engano, ou um príncipe de cavalo, mas com a sorte que tenho vai acabar sendo a Samara, e do jeito que estou vestida (pijaminha Rosa ridículo) ela vai olhar pra mim e até desistir de me levar pro poço com ela”.
   12Bjs :*

Fuizzzz...

#Yssa =)

1 comentários:

Renilson Bail disse...

O primeiro texto de julho é uma reflexão interessante. De fato, há uma hora, pensei o mesmo. Só damos valor depois da perda.

Postar um comentário

 
;